Criar uma Loja Virtual Grátis
Translate this Page
APOSTASIA
Considerando que 'apostasia' é o tempo de escassez
SIM
NAO
Ver Resultados

Rating: 2.6/5 (46 votos)




ONLINE
1





Partilhe esta Página



                 (devocional diário)

sabado, 22 DE FEVEREIRO DE 2014

O Que Lhe Aguarda?

"Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda." (2 Timóteo 4:8)

O conceito de uma coroa, ou uma recompensa, segundo a Bíblia é o de algo que é dado a um crente por sua fidelidade. Paulo disse que se você olhar para a frente com grande expectativa para o retorno de Cristo, receberá a coroa da justiça (veja 2 Timóteo 4:8).

Somos informados em Apocalipse 3:11: "Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém tome a sua coroa." Esse texto fala das oportunidades que Deus lhe dá. Há uma recompensa prometida para cada crente que serve fielmente ao Senhor. Não perca essa oportunidade, pois - se o fizer - você perderá a coroa que Jesus tem para você.

Falando de Jesus como o fundamento a ser estabelecido nos corações humanos, o apóstolo Paulo escreveu: "Se alguém constrói sobre esse alicerce, usando ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, sua obra será mostrada, porque o Dia a trará à luz; pois será revelada pelo fogo, que provará a qualidade da obra de cada um" (1 Coríntios 3:12-13).

Se não servirmos fielmente ao Senhor pelos motivos certos e se não fizermos o que Deus tem colocado diante de nós, não haverá recompensa alguma, não haverá uma coroa esperando por nós no paraíso. Mas, se aproveitarmos as oportunidades que Deus nos dá, Ele nos dará essa coroa.

Vai depender inteiramente do que Deus nos chamou para fazer. Ele julgará cada um de nós de acordo com o plano e propósito que colocou em nossas vidas.
- E se esse fosse o seu último ano na Terra?
Viva de acordo com o propósito d'Ele para a sua vida e ganhe a sua coroa.

domingo, 22 DE fevereiro de 2014

Quem Será Contra Nós?

"Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa." (Isaías 41:10)
Alguma vez já se esqueceram de você numa data importante? Talvez seu cônjuge tenha esquecido seu aniversário ou o aniversário de casamento. Ou quem sabe seus filhos se esqueceram de você no Natal. Mesmo que seus entes queridos se esqueçam de você, Deus jamais esquece. Você está sempre em Sua mente. Romanos 8:31 diz: "Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?"
Deus está pensando em você agora mesmo. Ele não pensa em você apenas como um membro da humanidade ou como parte da Sua igreja. Ele pensa em você como indivíduo. O salmista escreveu: "[...] Não se pode relatar os planos que preparaste para nós! Eu queria proclamá-los e anunciá-los, mas são por demais numerosos!" (Salmo 40:5).
Os pensamentos de Deus acerca de você são contínuos e inumeráveis. O Deus Todo-Poderoso, Aquele que carrega os céus na palma de Sua mão, Aquele que falando fez a criação existir, está pensando em você agora.
Não somente o Deus Pai pensa em você, como o Filho intercede por você. Hebreus 7:25 diz: "Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles".
O Deus Pai pensa em você, o Deus Filho ora e intercede por você, e o Deus Espírito Santo também auxilia: "E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus" (Romanos 8:27).
Deus é por você. Deus pensa em você. Deus está do seu lado!

   

PORTAL EXPLOSÃO DE MILAGRES




                         http://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/06092012_barrabas.jpg            

     " LEIA ESTA MENSAGEM, ELA IRÁ EDIFICAR SUA VIDA”.

 

TEXTO:

João – 18: 39-40

39. Falando isto, saiu de novo, foi ter com os judeus, e disse-lhes: “Não acho nele crime algum. Mas é costume entre vós que pela Páscoa vos solte um preso. Quereis, pois, que vos solte o rei dos judeus?”

40. Então todos gritaram novamente e disseram: “Não” A este não! Mas a Barrabás!” (Barrabás era um salteador).

                                                                                                          
1) INTRODUÇÃO

Esta mensagem mudará seu conceito de convertido e de um cristão, para um amigo do Senhor Jesus.

Quando pedi ao Senhor uma palavra para ministrar aos seus filhos, então Deus me trouxe ao coração esta palavra e enquanto eu a preparava meu coração estremecia dentro do peito e meus olhos se enchiam de lágrimas pelo tamanho do poder nela contido. Por isso quero lhes dizer que algo muito forte vai acontecer em seu coração após se alimentar dessa mensagem e que verdadeiramente Deus é contigo.

Esta mensagem fala-nos de um personagem muito pouco pregado nos púlpitos e que teve um papel fundamental no contexto histórico da humanidade. Alguém que mesmo com uma pequena participação literária, fez com que a história inteira tivesse um evento extraordinário.

Abra seu coração e deixe a luz da palavra de Deus penetrar dentro de você e com toda certeza sua vida nunca mais será a mesmo.

       

2) A HISTÓRIA DO JULGAMENTO

                Durante o martírio de Jesus, Ele tem que enfrentar três julgamentos (leia a minha mensagem OS TRÊS JULGAMENTOS DE JESUS) dos quais já estava previsto por Deus para que ninguém duvidasse de sua soberania e realeza, e em um deles Jesus é trazido para diante da multidão numa tentativa covarde de Pilatos de se livrar de um inocente o qual o povo queria morto.

                Estavam as vésperas da páscoa e neste tempo ninguém era julgado ou crucificado não se executava ninguém. Eles precisavam se apressar se quisessem ver Jesus crucificado. Como eram vésperas da Páscoa, era de costume que soltasse um preso e lhe perdoasse seus crimes, e mais uma vez o covarde Pilatos usa dessa condição para tentar se livrar do inocente Jesus, mas seu tiro sai pela culatra. Pilatos manda dar uma surra em Jesus para que o povo ficasse satisfeito e com pena de Jesus e assim decidissem que já era o bastante e o soltassem, pois não havia nele crime algum. Pilatos sabia quem era o criminoso chamado Barrabás, o qual ele mesmo mandou prender por crimes hediondos e agora o coloca em escolha; Jesus ou Barrabás? Quem devo soltar? Escolham e decidam entre os dois, disse Pilatos.

                Mas para a surpresa de Pilatos o povo escolhe a Barrabás. Todos gritam em uma só voz: Solte Barrabás, crucifica Jesus!

                        Na verdade o que estava previsto era que Jesus, Barrabás, os dois ladrões, Dimas, o da direita e Jestas, o da esquerda fossem todos julgados e executados no mesmo dia. Mas deixe eu lhe falar algo.

                Quando prenderam Barrabás, Dimas e Jestas, os romanos ao saberem que a centença seria a morte de cruz, eles logo trataram de tirar as medidas corpórea dos condenados e assim foram feitas três cruzes, no tamanho certo de cada criminoso e no lugar certo foi iniciado um pequeno buraco para que o prego entrasse com mais facilidade. Como Jesus foi preso, julgado e decidido que fosse crucificado, não deu tempo para que se preparasse uma cruz na sua medida. Então ao ser decidido que um deveria ser solto, logo a cruz de Barrabás, que era segundo a história um homenzarrão, passou para Jesus. É por isso que lhe rasgaram as carnes da juntura do ombro. Ele levou sobre os ombros uma cruz que não era dele. Ele foi pregado em uma cruz que não foi feita para Ele.

 

3) A HISTÓRIA DE BARRABÁS

O nome verdadeiro é Bar Aba, que significa “filho de pai nobre”, um patriota desordeiro, violento, revoltado. Um homem natural da cidade de Jope. Tinha como profissão ser remador de botes. Devido a falta do pagamento dos impostos, que eram muito altos, as autoridades romanas lhe tomavam o seu bote para pagar impostos atrasados, lhe tirando a ferramenta de sustento, o que fez que ele se tornasse um revoltado com o confisco de seus bens, e entre eles o bote. Era dotado de muita coragem, força e espírito de iniciativa, mas era muito ignorante e falador.

            Com os prejuízos que sofrera, acabou se tornando um salteador das estradas e seu ofício ganhou fama e alguns seguidores, formando um pelotão de marginais do qual se tornou o chefe. Gerava muito medo por onde andava, pois roubavam todos os pertences de quem quer que seja. Chegou a vir as escondidas para a cidade de Jerusalém onde trabalhava escondidamente na parte de baixo de Jerusalém no vale do Kidron.                      

Bandido ferrenho, atormentava a vida dos romano. Cetra vez atacou com seu bando uma guarnição de soldados romanos na cidade de Cafarnaum, roubando todo o soldo da tropa. Chegou a roubar também os bens dos sacerdotes do templo judaico. Caifás ficou num irado e desespero, então queixou-se a Pilatos dizendo que se não houvesse providência, iria se informar ao imperador Tibério, o que não seria nada bom para Pilatos.

Por atacar o pelotão de soldados romanos e os sacerdotes do templo, Barrabás foi procurado e caçado por todos os lugares e acabou sendo preso com seu comparsas, entre eles Dimas e Jestas, pelo Centurião Varro. Assim a pena de Barrabás seria nada mais nada menos que a crucificação.

            Havia que ele estava preso e já tinha sido condenado à crucificação e para ele foi uma grande surpresa ser escolhido pelo povo para ser solto. Não sabia o que estava acontecendo e só foi saber disto bem mais tarde.

 

4) A MÃE DE BAR ABA

Conta-nos alguns estoriadores que certa ocasião que Jesus esteve reunido com os apóstolos na casa de Pedro ocasião que curou sua sogra, e Jesus estando sob o crepúsculo e muitas pessoas vinha a Ele para serem curados. Entre estas pessoas veio uma mulher que entrou chorando copiosamente e muito aflita, ela caiu de joelhos aos pés de Jesus e suplicava algo a Ele.

Os discípulos assustados, não esperavam que alguém chegasse ali e agisse daquela maneira. Então um deles a interrogou, perguntado quem era ela. E assim Barbolomeu então respondeu:

__Conheço esta mulher. É a mãe de Bar Aba. Aquele mesmo que assaltava à mão armada nas estradas de Jericó e agora está preso sendo condenado à morte, a morte de cruz no monte Calvário.

A mulher então disse a Jesus:

__Senhor, tem piedade de meu filho Bar Aba, que foi condenado a morte. Ele foi arrastado ao crime por injustiças e desesperos. Sempre foi um rapaz obediente, quieto, dedicado ao trabalho. Entretanto, atraído por estes males se involveu com quadrilhas que assaltavam os viajantes que assustam Samaria e Damasco. Tem pena de mim, que sou mãe desventurada, pois sei que tudo podes. Curaste o filho da viúva de Naim, o cego de Jericó, o servo do Centurião romano e ressuscitaste Lázaro, o irmão de Marta.

Jesus olhou amorosamente a mãe aflita de Barrabás e perguntou-lhe:

 __Que queres de mim, mulher? Disse Jesus.

 __Peço-te que o salves meu filho da morte, pois dentro de alguns dias será crucificado. Sei que és bom e podes impedir que ele morra. Faze um milagre. E assim concluiu, chorando e beijando os pés do mestre.

Então Jesus completa dizendo:

__Vai, mulher, porque Deus tem ouvido as tuas orações e por isso mandou seu filho ao mundo, para que se cumpram as escrituras.

A mulher beijou as sandálias do divino mestre e saiu a correr dentro da noite alta e tranqüila, gritando como quem fala para o mundo:

__Jesus salvou meu filho! Ben Bar Aba não morrerá”.

    

3) BAR ABA É SOLTO

                        Mateus chama Barrabás de um "preso muito conhecido". Marcos diz que ele foi "preso com amotinadores, os quais em um tumulto haviam cometido homicídio". Lucas afirma que ele foi lançado na prisão "por causa de uma sedição na cidade e também por homicídio". João o chama "salteador". Sim ele era tudo isso, mas aprove a Deus colocá-lo em seus planos.

Chegou o dia da crucificação de Barrabás, Dimas e Jestas, porém algo estava para acontecer. Algo que mudaria a história de um condenado chamado Bar Aba.

                Penso que no corredor da morte Barrabás faz uma reflexão de vida, e talvez desejasse ver sua mãe. Então um barulho se faz ser ouvido na prisão. É o som de alguém abrindo a porta da cela. E ele logo pensa: “Chegou a minha hora de morrer”

                Então o soldado romano vai em direção a Barrabás e diz a ele:

__Pode ir Barrabás! Você está livre!

Talvez meio assustado e sem muito acreditar, ele pergunta:

__Mas eu não vou morrer?

E o soldado romano que a tudo assistiu lá fora, e também sem muito acreditar, reponde:

__Outra pessoa vai morrer em seu lugar!

                Assim Barrabás sai e é levado até a presença de Pilatos para ser posto em liberdade. Ao chegar no que mais parecia um tribunal público ele se encontra com aquele que morreria em seu lugar e por um instante Barrabás olha nos olhos de Jesus e pensa em seu intimo: “O que será que ele fez para morrer em meu lugar?”

                Mesmo sem mover os lábios ele ouve uma voz que lhe fala no coração:

__Vai em paz! Você está livre! Eu morrerei em seu lugar.

O restante creio que você já sabe. Jesus foi crucificado e como foi com o primeiro Adão, agora com o segundo Adão dá vida a sua noiva, mas esta é uma outra mensagem.

Não se sabe se Barrabás mudou de vida, nem o que aconteceu com ele depois da morte de Jesus. Mas eu creio que vou encontrá-lo no céu, e então vou lhe perguntar:

__Amigo irmão Barrabás. Você soube mais que ninguém o sentido da frase: “Jesus morreu em meu lugar”. Então me diga como foi aquele dia na sua vida.

 

4) CONCLUSÃO

Hoje eu não quero dizer ou pregar para um povo que ficou como acusadores e assim ainda escolhem crucificar a Jesus, pois ainda continuam a se contamirarem com os mesmos pensamentos de maldade.

Mas quero dizer para os muitos Barrabás que estão no corredor da morte, pois algumas injustiças humanas, ou algumas tempestades da vida o fizeram revoltar contra tudo e contra todos. Pessoas que sofreram grandes perdas irreparáveis e dolorosas, e assim se tornaram amargas, não que sejam amargas, mas se tornaram amargas e tristes. A estes quero me dirigir agora e dizer lhes que Jesus morreu em seu lugar e você está livre para adorá-lo e ser feliz.

Verdadeiramente Barrabás sentiu na pele o que é ouvir e viver. E assim ele poderia dizer o que eu peço humildemente a você que diga agora aí onde está agora: JESUS MORREU EM MEU LUGAR!!

JESUS MORREU EM MEU LUGAR!!

Eu estou livre!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

                Acredite. Quando preguei esta mensagem na igreja, foi um mover!

        



 

 

http://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/831516.jpg

“LEIA ESTA MENSAGEM, ELA IRÁ EDIFICAR SUA VIDA”.

TEXTO

Lucas 17:11/19

11. E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio da Samaria e da Galileia;

12. E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe,

13. E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós.

14. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.

15. E um deles, vendo que estava são, voltou, glorificando a Deu em alta voz;

16. E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano.

17. E, respondendo Jesus, disse; Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?

18. Não houve quem voltasse, para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?

19. E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.

 

  • Ø INTRODUÇÃO

                   Esta é mais uma mensagem vinda do Senhor para nossas vidas e que quero com muita fidelidade levar a todos, como me foi dada.

                Um relato escrito somente pelo Evangelista Lucas, que era um médico e disse que seu evangelho era de teor ivestigativo, escrevendo para um amigo de nome Teófilo, um nome grego, que significa “Teo-Deus” e “filo-amigo”, ou seja, “amigo de Deus”. Assim também em suas investigações, Lucas relata um evento maravilhos do qual tentarei dar minha parcela de contribuição com esta mensagem.

                Para que esta palavra venha ser plantada em seus corações é necessário que façamos algumas considerações sobre o que a lei havia deixado escrito, umalei que aparentemente se mostra como uma lei carrasca e insensível, mas que na verdade era devido o miserável espirito humano, que precisava ser condicionado a ficar nos rigores de lei para não se perder, como foi com lucifer e seus anjos.

                Abra seu coração e se alimente com mais um pouco do que Deus preparou nesta leitura.

 

  • Ø A VELHA LEI DE MOISÉS

Este acontecimento que acabamos de ler, aconteceu já nos últimos dias da vida de Jesus. Doutor Lucas diz-nos que Jesus caminhava para Jerusalém e atravessou a Galileia e a Samaria, então Ele caminhava para sul. Jesus atravessar a Galileia é algo normal, mas atravessar a Samaria, isso não era comum nessa época, devido ao antigo ódio entre esses dois povos, Judeus e Samaritanos. Geralmente os judeus só atravessavam a Samaria se formassem em um grupo grande, bem organizado e armado. Mas um pequeno grupo como o de Jesus com os seus discípulos, estaria correndo perigo.

Porém Jesus não só atravessou a Samaria, como também entrou em uma das aldeias de samaritanos, pois o Messias veio para todos os povos, para que todos fossem salvos e curados por sua obra.

Algumas traduções diz que quando Jesus entrava em certa aldeia da Samaria, saíram-lhe ao encontro “dez homens leprosos”. Noutras traduções, está a expressão “dez doentes com lepra”, Outras aparece a expressão “dez homens com lepra”.

Mas o que me parece estranho é que nessa época havia certamente mais mulheres do que homens em Samaria, pois um motivo é que os homens serviam na guerra e morriam mais cedo. Então provavelmente crio que o mais provável é que, além dos dez homens leprosos, haveria também mulheres e crianças, que de acordo com essa cultura, não foram mencionadas, sendo ainda que podemos conclir que talvez fosse uma família. Ou talvez o grupo fosse maior do que dez se segundoa cultura contasse somente homens.

O evengelista Lucas era médico. Ele sabia muito bem o que era a lepra.Agora vejamos o que as ecrituras nos deixou registrado ejntre muitas passagens, algo sobre o tratamento dado aos leprosos, Há várias passagens sobre a lepra, mas essa mais me chamaou atenção:

 

Números  5

1. E falou o Senhor a Moisés, dizendo:

2. Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece de fluxo, e a todos os imundos por causa de contacto com algum morto. 3. Desde o homem até à mulher os lançareis; fora do arraial os lançareis, para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu habito.

 

Hoje sabemos que a lepra tem controle medicinal, mas naqueles dias cultura medicinal ainda não curava a lepra. Então se isolava o leprosos para que não contaminasse os limpos.

Todos eram condenados a viver fora do convívio dos demais e assim eles acabavam por formarem uma aldeia e ali viviam uns pelos outros.

A lepra aos poucos ia matando os doentes, que além de estarem separados de seus entes queridos, também estavam condenados a uma morte lenta e dolorida.

“As úlceras vinham gradualmente nas diferentes partes do corpo, o cabelo caía, as sobrancelhas desaparecem, as unhas amolecem e caem e mais tarde os dedos das mãos e dos pés apodrecem e caem, as gengivas contraem-se e os dentes desaparecem, os olhos, o nariz, a língua, pouco a pouco desaparecem”.

Eram pessoas na horrível situação de leprosos, com tudo que a palavra leproso significava na cultura dos judeus e na medicina da época. Como sabemos, o leproso era escorraçado para fora dos lugares habitados vivendo em locais desérticos. Não podia chegar perto de outras pessoas, e quandoalguém se aproximava obrigado a gritar: “Imundo... Imundo...”

Os leprosos, apesar de afastados de seus familiares e amigos, apesar de divididos pela sua raça, divididos pela sua genealogia, divididos pela própria teologia, eles eram muito unidos entre si. Talvez pudéssemos dizer que estavam unidos pela desgraça. Aqueles que viviam separados por pertencerem a seitas diferentes e que anteriormente até se odiavam, constituíam agora uma nova família. Tinham de se ajudar mutuamente.

 

  • Ø A NOVA LEI DE JESUS

A lei já estava posta, e dizia que o leproso não poderia viver mais no convívio social e estava condenado a uma morte entre outros leprosos. Mas nesta passagem prioritáriamente a resposta de Jesus é um tanto diferenciada, pois Ele não diz: “Vai a tua fé te salvou; ou, Vai, perdoados estãos teus pecado; ou, Sê limpo”. Mas Ele diz: “Ide e mostrai-vos aos Sacerdotes.

                Vejo que realmente Jesus apoia a Velha Lei e não veio para contrariá-la. Mas o que determinava a Lei de Moisés para o caso dos leprosos? Vejamos:

 

Levítico 13

4. Mas, se a empola na pele da sua carne for branca, e não parecer mais profundado do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então o sacerdote encerrará o que tem a praga por sete dias;

5. E ao sétimo dia, o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer, parou e a praga na pele se não estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias;

6. E o sacerdote, ao sétimo dia, o examinará outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e a praga na pele se não estendeu, então o sacerdote o declarará por limpo; apostema é; e lavará os seus vestidos, e será limpo.

 

Então, segundoa lei eles deveriam ficar em observação por cerca de quatorze dias para que os Sacerdotes testificassem o milagre realizado por Jesus. E Depois eles deveriam fazer um sacrifício de aves para assim confirmarem estarem curados da lepra. Então o que vemos é que a maioria obedecem a velha lei e vai ficar sobre os olhos dos Sacerdotes, nos mostrando que ainda lhes faltava uma maior convicicção do milagre.Parece que de início, todos eles obedeceram, possivelmente com pouca convicção.

Mas ouve um que resolveu cumprir uma lei maior, a Lei da Gratidão, e mesmo seus amigos terem ido para cumprimento da velha Lei, ele foi diferente.Nada conseguiu impedir que o samaritano voltasse para Jesus, louvando a Deus em alta voz e assim esternasse sua gratidão sincera.

 

  • Ø CONCLUSÃO

É Sabido que entre judeus e samaritanos havia um ódio que já vinha de várias gerações, de muito tempo e todos os dias, ao por do sol, os judeus mais piedosos voltavam-se na direcção de Samaria para amaldiçoar os samaritanos. Mas agora tudo era diferente, é que já não havia mais judeus nem samaritanos, mas  todos leprosos.

O contexto realata que eles pararam a certa distância o que era habitual, e obrigatório pela Velha Lei, pois eram de leprosos, mas em vez de gritarem “Imundo... imundo”, a sua exclamação foi outra. “Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós”. Seria esta a verdadeira oração dos leprosos?

Quando o homem descobre sua doença física ou espiritual, quando sente a sua fraqueza, não necessita que ninguém o venha ensinar a orar.  Apesar de serem judeus e de tantas vezes terem recitado os Salmos, eles nunca tinham orado dessa maneira ou usando estas palavras. Mas mais maravilhos que a oração dos leprosos, foi a resposa que Jesus lhes deu, pois sabemos, aprendemos e ensinamos que as vezes o Senhor responde sim, outras vezes é não, e outras vezes manda esperar. Mas, parece que desta vez temos ainda uma outra nova resposta possível. O Senhor manda-os ao sacerdote, que eram os médico responsável pela saúde, pois eram levitas e eles exerciam essas funções, de zelar pela saúde do povo.

Será que podemos imaginar o que devem ter pensado alguns dos leprosos. Talvez inicialmente tivessem ficado desiludidos, e nessa altura Satanás deve ter insinuado as maiores dúvidas. Mas, apesar de tudo, eles foram aos sacerdotes e nesse momento aconteceu o milagre.

A descrição de Lucas conta o caso estranho de um dos leprosos voltar sozinho. Não era natural. Os leprosos andavam sempre juntos até à morte. Mas aquele era diferente dos dez leprosos só voltou um.... Um para dez, ou somente dez por cento se preocupa em agradecer. O que é que tem prioridade em nossas orações?  São os pedidos ou é o louvor e o agradecimento pelo que temos ?

Lucas não nos diz, porque é que só o samaritano é que voltou. O que terá acontecido quando se sentiram já curados ?

É natural que a primeira reacção dos leprosos fosse a de procurar as suas famílias e amigos para dizer: Alegrem-se porque voltei e estou curado.O samaritano que voltou com certeza também tinha sua família, mas ele deu prioridade a uma outra família. Procurou em primeiro lugar o Messias que o tinha curado.

Eu te convido a cultuar a Deus. E cultuar a Deus não é sermos pedintes, mas adoradores que louvam e agradecem por tudo que Ele nos tem feito e isso é cultuar a Deus. Seja um adorador e não um pedinte.

 

                     



                                                                                

http://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/429952684_61bca1cfae_o.jpg

 

Juízes – 07: 01 a 07

01. Então Jerubaal (que é Gideão) se levantou de madrugada, e todo o povo que com ele havia, e se acamparam junto à fonte de Harode, de maneira que tinha o arraial dos midianitas para o norte, no vale, perto do outeiro de Moré.

02.E disse o SENHOR a Gideão: Muito é o povo que está contigo, para eu dar aos midianitas em sua mão; a fim de que Israel não se glorie contra mim, dizendo: A minha mão me livrou.

03. Agora, pois, apregoa aos ouvidos do povo, dizendo: Quem for medroso e tímido, volte, e retire-se apressadamente das montanhas de Gileade. Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram.

04. E disse o SENHOR a Gideão: Ainda há muito povo; faze-os descer às águas, e ali os provarei; e será que, daquele de que eu te disser: Este irá contigo, esse contigo irá; porém de todo aquele, de que eu te disser: Este não irá contigo, esse não irá.

05. E fez descer o povo às águas. Então o SENHOR disse a Gideão: Qualquer que lamber as águas com a sua língua, como as lambe o cão, esse porás à parte; como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber.

06. E foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; e todo o restante do povo se abaixou de joelhos a beber as águas.

07. E disse o SENHOR a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam as águas vos livrarei, e darei os midianitas na tua mão; portanto, todos os demais se retirem, cada um ao seu lugar.

 

  • INTRODUÇÃO

Esta é uma mensagem que muitos pastores não têm coragem de pregar!

                Esta mensagem é uma palavra que vai impactar seu coração, mas para isso você precisa abrir seu coração e deixar que a palavra do Senhor faça morada em ti, pois conhecereis a verdade e a verdade vos libertará e sem dúvida a verdade é a boa e agradável palavra de Deus.

                Quero falar de um evento grandioso que marcou a vida do povo de Deus, quando um homem se propôs a fazer a vontade de Deus. Este homem é conhecido por Gideão ou em hebraico Gidon, alguém que saiu do nada, do abstrato para se tornar um Juiz, para se tornar uma ferramenta nas mãos do Todo Poderoso. Mas também veremos o que acontece com aqueles que se metem no caminho de um ungido por Deus, por isso a bíblia diz que coisa terrível é cair nas mãos do Deus altíssimo.

                Mas o enfoque se dará a aqueles que estavam com Gideão em um propósito de livrar Israel de sete anos de sofrimento e humilhação causada pelos inimigos, os povos Amalequitas e Midianitas.

                Quero chamar a atenção do povo de Deus para a batalha, pois sabemos e cremos que os dias ficam cada vez mais difíceis, e não podemos nos omitir da luta, e a palavra do Senhor nos alerta que Ele nos deu espírito de poder e não espírito de medo. Então vamos juntos conhecer a história de Gideão e seus 300 homens e assim crescermos juntos e vencermos todos os inimigos.

 

  • QUEM ERA GIDEÃO?

                Seu nome traduzido é “O talhador ou destruidor”. Era filho de Yoash que é Joás, da tribo de Manasses. Também foi chamado Jerubaal (Jz-6:32) que significa “baal que se vire”, e Jerubesete (II Sm-11:21) que significa “contenda com ídolo”. Habitava na cidade de Ofra, e foi escolhido por Deus de um modo muito extraordinário para libertar os israelitas do jugo dos midianitas, sob o domínio dos quais, Israel tinha sofrido pelo espaço de sete anos.

Os inimigos rapaces e cruéis destruíam todos os anos, os produtos da terra de Canaã, à exceção dos que podiam ser escondidos nos retiros fortificados das montanhas. Foi Gideão o sétimo juiz de Israel, que julgou os israelitas pelo espaço de cinqüenta anos, e também recusou ser o rei de Israel. Em seus dias, Israel abandonara a Deus e estava numa condição muito debilitada, atemorizado por ladrões midianitas, que saqueavam o país e faziam à vida intolerável (Jz 6:1-5).

Este era o homem que Deus escolheu para livrar Israel das mãos dos inimigos. Agora analise comigo a atitude de Gideão. Segundo suas próprias palavras, ele era pobre, alguém que aos olhos da sociedade não merecia créditos ou confiança, mas se analisarmos bem veremos que provavelmente durante a noite Gideão colhia o trigo e durante o dia ele malhava o alimento no lagar, que era o lugar de se pisar a uva, pois o trigo era batido na eira e não no lagar. Isso nos mostra a vontade de Gideão em ter suprimentos para sua família, pois se não fizesse assim os inimigos levariam seu alimento e os deixaria passando fome.

 

  • QUEM ERAM OS INIMIGOS DE ISRAEL – Jz 6:3

                Israel havia se desviado dos caminhos do Deus Eterno, e descambado para idolatria, que em minha opinião é o pior de todos os pecados, pois ao idolatrarmos uma entidade estamos declarando o desprezo pelo Deus verdadeiro. Então Jeová permite que inimigos se levantem para oprimir o povo, pois a brecha já estava aberta para a ação legal do inimigo de nossas almas. Assim naquela época levantaram se os Midianitas e os Amalequitas, juntos como insetos. E por sete longos anos eles subiam e tomavam todo o alimento e arrebatavam todo o rebanho do campo. E para sobreviver os Israelitas escondiam alimentos em cavernas feitas nas montanhas calcárias.

                Os Midianitas eram parentes dos Israelitas, descendentes de Mídiã, um filho de Abraão e Quetura em seu segundo casamento. Era um povo nômade que vivia ao leste do rio Jordão do mar Morto, ou seja, ficavam no lado oriental de Gileade, Moabe e sul de Edom para o noroeste da Arábia.

                Os Amalequitas eram uma tribo também nômade, localizada no Neguebe, na península do Sinai, eram descendentes de Amaleque, neto de Esaú (Gn-36:12,36). Os Midianitas e os Amalequitas formaram uma coalizão, para ferirem a Israel.

                Sabe o que aprendo aqui? É que muitas vezes, ou na maioria das vezes, nossos inimigos estão perto de nós, são os da nossa casa.

 

  • O EXERCITO DE GIDEÃO

                A bíblia nos revela que após uma conversa com o Anjo do Senhor, que segundo alguns estudiosos uma Teofania, Gideão conclama ao povo para irem para guerra, e ajunta um exército de 32.000 homens, aparentemente um bom número de homens, mas para conseguirem vencer o inimigo, cada um do exército de Israel teria que matar cerca de 4 homens do exército inimigo, mas agora vem Deus e manda que Gideão faça um proclame dizendo que aos covardes, medrosos que voltem para casa.

Penso que Gideão acreditasse que uns 50 a 100 homens fossem embora, mas para sua decepção 22.000 homens eram covardes, assim só ficaram 10.000 homens, o que tornou a coisa mais difícil, pois agora cada Israelita teria que matar 13 homens do exercito inimigo. Novamente vem Jeová e acha que ainda é muita gente, e manda que se levem os 10.000 para beberem água, na fonte que recebeu o nome de “Fonte de Gideão”. Jeová diz que os que levassem à água a boca lambendo como se faz um cachorro fosse posto a parte. Dentre estes, 9.700 se ajoelharam e beberam água como quem estava displicente com o inimigo, e assim foram dispensados, ficando 300 homens, que agora teriam que matar a fio da espada cada um cerca de 4.333 homens do exército inimigo, pois saiba você que o grupamento dos Midianitas e Amalequitas eram um Exército de 135.000 homens.

                Gideão tinha apenas 300 homens que de acordo com as palavras do Anjo venceriam os inimigos. É quase difícil de acreditar que isso fosse possível, mas quando a palavra de Deus está empenhada no negócio, então não haverá derrotas. Você pode estar hoje diante da maior adversidade de sua vida, mas se entregar sua vida a Jesus, sua vitória chegará, e então você cantará um cântico de vitória e se exultara.

 

  • A FONTE DE GIDEÃO

                O texto em epígrafe é bem claro. Gideão se acampa na fonte de Harote, mas o mais interessante é que Harote significa “fonte do medo, do terror” (Jeová parece sempre brincar com as palavras). Então Deus ordena a Gideão para que leve os 10.000 homens que ficaram para beberem água.

                Talvez aquelas águas aos olhos do povo de Israel, fossem águas desprezadas, mas a sede era grande e bem sabemos que o corpo humano é formado de 70% de água, e naquela situação eles não suportariam a batalha. Muitas vezes achamos que Deus não virá a nosso socorro, pensamos que estarmos sozinho, mas saiba de uma coisa, Jeová nunca fará aquilo que você pode e tem capacidade de fazer, Ele faz o que para nós é impossível. Ele nos levará a uma fonte de Harote, mas como e de que maneira nós beberemos da água, dependerá de cada um. Alguns beberam de forma diferente e para eles naquele momento algo sobrenatural aconteceu, e se você também souber que maneira se portará diante do poço o sobrenatural estará perto.

                Fico a pensar por que Deus escolheria seu exercito no momento de beberem água. Ou o porquê muitos nem chegaram a provar daquelas águas. E pensar que 22.000 homens foram covardes e que 9.700 homens foram displicentes, mas ainda assim 300 foram fieis às palavras do Senhor Jeová. Aprendi que nossas atitudes mostram quem somos verdadeiramente para Deus.

                A fonte de Gideão é a resposta para muitas de nossas perguntas. É também a solução para nossos problemas, é o remédio na hora certa. Então orei a Deus e lhe pedi que me fizesse chegar a fonte de Gideão, e o Senhor me revelou esta palavra.

 

  • GIDEÃO E SEUS 300 HOMENS

                Ainda hoje muitos desistem da batalha, mas Gideão conservou a fé na palavra que o Senhor lhe trouxe junto ao carvalho em Ofra. Manteve-se firme e fiel ao Deus de Israel, ao contrário de muitos dentre o povo de hoje.

                Mesmo lhe restando 300 homens ele sabia que Deus estava com eles. Mas e agora o que fazer. Deus disse que Gideão venceria os Midianitas, mas Deus não disse como isso aconteceria. É aí que colocamos em prática algo que Deus nos dá em momentos difíceis.

                Gideão sabia que precisava de uma estratégia e ele então conhecia o inimigo. Será que nós aprendemos algo sobre quem realmente é nosso inimigo? Será que você sabe quem é aquele que quer lhe matar? Você sabe algo sobre satanás?

                Gideão sabia que os Midianitas eram um povo supersticioso e então ele chama seus 300 homens e diz a eles:

“Amigos, chegou a hora da vitória. Vocês crêem? E todos disseram SIM, CREMOS!! Então cada um vote a sua casa e pegue um vaso e uma tocha e voltem aqui.”

                Assim os 300 homens corajosos foram e trouxeram tudo conforme Gideão havia dito agora cada homem tinha um vaso na mão esquerda e uma tocha na mão direita. Talvez pensemos como eles usariam a espada?

                Gideão sabia que uma lenda Midianita contava que os inimigos outrora derrotados voltariam para vingarem suas mortes e de seus entes, mas com uma fúria incontrolável eles teriam no lugar da cabeça uma tocha de fogo. Assim Gideão mandou que os seus 300 homens cercassem o arraial dos inimigos e todos no mesmo momento iriam gritar e quebrando os vasos acenderiam as tochas.

                Imagine você 135.000 homens ouvindo ao mesmo tempo o som de trezentos vasos sendo quebrados e trezentos homens gritando a mesma coisa, sendo cercados por tochas de fogo. O pavor tomou conta dos inimigos ao ponto que eles matavam uns aos outros e alguns poucos fugiram.

                Deus vai colocar um pavor no coração dos inimigos daqueles que forem corajosos e fieis a Ele. Eu profetizo que você não vai precisar usar sua espada, mas mesmo assim eles vão fugir de diante de nossas faces.

 

  • CONCLUSÃO

                Posteriormente aquele lugar em que Gideão teria levado seus homens para beberem água que antes se chamava a fonte do terror e do medo, passou a se chamar A FONTE DE GIDEÃO, pois ali se iniciou a vitória de 300 homens contra 135.000 inimigos, mas com uma diferença. É que os 300 de Israel estavam na direção de Deus e os 135.000 Midianitas e Amalequitas, NÃO!!!!!!!!

                Precisamos ainda hoje achegarmos a fonte das águas de Gideão. Dobre seus joelhos ainda hoje e peça para o Senhor te fazer beber das águas da FONTE DE GIDEÃO.

                Deus manda que os 10.000 desçam ás águas e ali Gideão se posiciona e penso eu que manda que de dez em dez desçam e bebam água e os que ajoelhavam e enfiavam a cabeça nas águas pusesse a parte, e os que agachassem e levasse a água na boca também colocasse a parte.

                22.000 homens logo no começo se entregaram ao medo e a covardia, pois estes não tinham nada a ver com os verdadeiros vencedores e nem chegaram a beber da água da fonte de Gideão.

                9.700 beberam das águas e mataram a sede, mas foram displicentes podendo ser surpreendidos pelo inimigo, pois se ajoelharam e enfiaram a “cara” na água. E assim ainda hoje muitos se entregam á Jesus e não mais vigiam, ficando vulneráveis ao ataque do inimigo e são derrotados, não provando do gosto da vitória.

                Porém 300 homens, que são a minoria, beberam da água e mesmo na hora de saciarem a sede, continuaram vigiando o inimigo para não serem surpreendidos, pois estes levavam a água até a boca, e assim foram vencedores, e provaram do milagre de Jeová no meio da batalha.

                Note que mesmo os 22.000 covardes e os 9.700 displicentes tiveram benefícios com a vitória dos 300 corajosos, pois agora Israel estava livre de seus inimigos, e eles faziam parte desse povo, e penso eu que até chegaram a comemorar a vitória de seus inimigos, mas eles não estavam lá.

                A Fonte de Gideão ainda hoje está a jorrar a água. Mas, Quem beberá da fonte e continuará na peleja? Quem estará no local da vitória? Quem contará a história verdadeira sobre a derrota do inimigo?

                Agora pasmem seus corações. Eu fiz uma conta matemática e cheguei a seguinte conclusão:

Se Gideão conseguiu reunir 32.000 e ainda assim foi corajoso, então:

1)   22.000 homens covardes correspondem a ---– 69% do total

2)   9.700 homens displicentes correspondem a -– 30% do total

3)   300 homens corajosos correspondem a -------– 1% do total

                E assim eu concluo esta mensagem com a seguinte colocação:

        69% do povo que está dentro das igrejas são covardes e se o anticristo viesse agora eles se entregariam como ratinhos medrosos e encurralados, se borrando de medo. São pessoas que na verdade só querem a benção e não querem sequer mover um dedo em prol da obra.

        30% do povo que se chama de povo de Deus não passam de servos inúteis que vão aos cultos, mas de forma displicentes tentam servir a Deus. Estes até chegam a serem abençoados e provam da água, mas nunca provarão da totalidade da benção e jamais contarão como aconteceu a vitória.

        1% desse mesmo povo são aqueles a quem Deus procura, pois o salmista diz que os olhos de Deus procuram os fieis da terra. E o próprio Jesus disse que o Pai procura adoradores, não adoração, mas adoradores, para que o adorem em espírito e em verdade, ou seja, com coragem e com atenção.

                Você faz parte de qual dos três grupos? Não minta! Seja sincero!



 

http://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/mefibosete_1_.jpghttp://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/mefibosete.jpg

 

Com os pés quebrados em Lo-Debar 

Uma terra sequíssima
Existe na Bíblia, a Palavra de DEUS, inúmeros testemunhos, exemplos e lições de pessoas e fatos que servem hoje para a edificação da vida e elevação da alma e referencia de conduta, e outros ainda, para a exortação da vida em seus aspectos variados, como também, exortação à alma, e estas lições tão diversificadas, diferentes em seus mais profundos temas como também, preciosas se apresentam como exemplos diários, em pessoas, lugares, ações, atitudes multidiversas, pois em sua maior performance, apresentam-se em palavras, nesta ultima forma é que iremos meditar em pouquíssimas palavras nas palavras desta lição-história, que está aqui representada em forma de pessoas que pronunciaram palavras com uma intenção pré-determinada esperando um efeito eficaz, também, diga-se, pré-determinado.

1º - E disse-lhe o rei: Onde está? E disse Ziba ao rei: Eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel,

em Lo-Debar.

{II Samuel 9:4}

Lo-Debar, Ziba, o rei Davi, Maquir (o mendigo), Mefibosete (filho de Jonatas e neto do rei Saul), são hoje os nossos personagens, procuraremos reunir aqui lugares, pessoas, atitudes e palavras e intenções para dizer-lhes que, este conjunto de coisas e sentimentos usados de maneira sagaz, pré-determinada seja para qual for o intuito, produzem efeitos bons ou catastróficos. 

O Rei Saul, homem cruel, sem escrúpulos, que foi aclamado Rei no lugar do profeta Samuel a pedido do povo (I Samuel 8:4), Samuel, que tinha sido escolhido por DEUS desde o ventre de sua mãe, e consagrado a DEUS pelas mãos do profeta Elí, para julgar o povo de DEUS, e Saul o rei aclamado impedia que um rei de verdade, como o rei Davi subisse ao trono para governar o povo de DEUS. Davi, no entanto, servo de DEUS, homem segundo o coração de DEUS, ungido Rei na casa de seu pai Jessé pelo próprio profeta Samuel, a mandado de DEUS para este serviço específico, esperava em DEUS a oportunidade para reinar no trono que já lhe pertencia por direito de unção Divina, e enquanto isto não acontecia fazia um curso rápido, quarenta anos, um estagio sem remuneração no deserto, pastoreando ovelhas, literalmente, tudo para quando subisse ao trono que lhe era por direito de unção, reinasse de acordo com a vontade Divina, já que todos os outros reis que nele tinham subido não faziam a vontade o DEUS Altíssimo.

De contra partida, Saul, rei por aclamação do povo, e aceito por DEUS, e que foi escolhido por seus dotes físicos, coisas que só os olhos carnais e humanos podem ver, providenciava para que Davi não reinasse em seu lugar, mesmo sabendo que o seu tempo findava em função de sua desobediência e incredulidade para com DEUS.

O reinado de Saul era catastrófico para o povo em todos os sentidos, também não podia ser diferente, pois Saul foi escolhido pelo povo e não por DEUS, apesar de ter sido ungido com a permissão de DEUS, porque permitiu DEUS para mostrar a falta de capacidade do homem, e a demais, DEUS já de início avisara o povo por intermédio do profeta Samuel que não seria um reinado saudável, proveitoso, próspero, pois tudo o que o homem faz e escolhe sem que DEUS aprove, é sem dúvida nenhuma, catastrófico. 

Apesar, também, de que pela ótica humana não poderia Davi reinar, pois não era da mesma linhagem de Saul, porém o que DEUS faz não se discute, tanto que em uma mensagem que ouvi há tempos passados, dizia o pregador em questão, que DEUS é muito “complicador”, que tudo o que faz Ele “complica”, “complica” e “complica”, e não diz porque complica, porém, do nada e para o nada, DEUS “descomplica”, “descomplica”, “descomplica” e explica, o que fez dizendo: O que fiz, o fiz para a minha glória. Pois, DEUS é DEUS, é Ele faz o que quer, tanto que mandou Moiséis apresentar-se a Faraó da seguinte forma: Diga a Faraó que Sou o que Sou. {Êxodo 3:14}.

Enfim, pela vontade de DEUS, Davi assume o trono e inicia o seu reinado que irá ficar marcado para sempre nos anais da história mundial. Saul, já é morto, e com ele o seu filho Jonatas que deixou apenas o seu herdeiro. 

Jonatas, de contra partida, em vida, tinha tido uma relação totalmente diferente com Davi, diferentemente como tinha sido a relação Saul, Davi, Jonatas, Jonatas, Davi eram amigos de verdade, amavam um ao outro, caminhavam nos mesmos caminhos, confidenciavam-se, tanto que, muitos anos atrás, na mocidade, tinham pactuado entre si, e em seus pactos afirmavam, juramentavam para que a validade fosse assinada por DEUS (Mateus 18:19), e diziam: O que vencer na vida em primeiro lugar, colocara o outro que não venceu para fazer parte de sua vitória. E eram fiéis um para com o outro naquilo que tinham tratado e jurado no passado, porém, a morte os separou.

Jonatas tinha um filho, Mefibosete, filho este que era cuidado com todo o zelo da época, pelas babás do reino de seu avô Saul, amas de leite e outras, pode-se até, ver pelos olhos da fé, usando a fertilidade da imaginação que deveria o neto do rei Saul, Mefibosete, passear pelos espaços reais apropriados para este fim nos átrios do palácio real, ora, não poderia ser diferente, neto de Rei Saul, rei poderoso que tinha todo respaldo humano da época e filho do Príncipe Jonatas, ah! Era herdeiro direto e por direito do trono que Davi ocupava naquele momento, o último da dinastia do velho avô, uma pessoa assim, nunca conheceu a amargura, a tristeza, as dificuldades e vicissitudes da vida realmente dono de tudo quando Davi estava governando, e estava longe do que era seu por direito hierárquico, em função das falcatruas que a vida coloca a disposição dos viventes da terra. 

Vejam, todos fazemos parte de uma dinastia real, todos somos criatura, benfeitorias das mãos do Rei dos Reis, DEUS, herdeiro de JESUS CRISTO por adoção (Gálatas 4:5), príncipe dos céus, e vivem uma vida de desprazer e de desalegria constante, desapercebido, absorto, em muitos casos alheio aos acontecimentos da vida, e ficam a mercê das armadilhas que a vida e o inimigo de nossas almas oferece gratuitamente para todos que estão sobre a face da terra para desvincular a adoção de DEUS para o homem.

Porém, Mefibosete não estava apartado do que lhe pertencia por prazer ou vontade, e sim por uma conseqüência e seqüência de fatos da vida que o impediam até de poder reivindicar o que lhe pertencia. Se pararmos para pensar um pouquinho, poderemos ver com os olhos da imaginação, que em muitos dias de sua miserável vida, ele sonhava com coisas que sua imaginação o fazia ver que tinha em tempos passados.

Note a armadilha que a vida preparou para Mefibosete privando-o do uso de seus bens.

Quando da idade de cinco anos em uma perseguição que o reino de seu avô sofreu, foi jogado no chão violentamente, bruscamente por sua babá, sua ama, que queria fugir da morte, pois, se cumpriam as profecias que o reino de desfaria em função dos pecados cometidos pelo rei e pelo povo, e quando ela se viu perseguida dentro do reino onde vivia e trabalhava, apavorou-se e jogou o menino no chão para poder safar-se melhor e mais rápido, da perseguição feita por povos bárbaros que queriam destruir a qualquer custo o reino de Saul. Mefibosete, caiu e lá ficou a mercê da própria sorte.

Mefibosete na queda quebrou os dois pés assim relata a Palavra do Senhor e Salvador, JESUS CRISTO, (II Samuel 9:3). Naquela época, todos os homens que possuíssem qualquer deficiência física, não poderiam estar junto à sociedade, existia uma mui grande acepção de pessoas em função da deficiência física.

Hoje, era da graça, pois JESUS CRISTO deu-se no calvário por nós em função dos nossos pecados, não existe mais acepção de pessoas e mesmo que tenhamos os pés quebrados por motivos diversos, não somos discriminados dentro da sociedade em que vivemos, pois o Senhor JESUS CRISTO, levou sobre si, toda a nossa angustia e diferença, e ainda somos protegidos pela legislação vigente.

Davi, que agora reinava no lugar do Rei Saul, absorto, em um dia em que pensava nas coisas do reino e de sua vida, teve uma idéia. Ah! Vou procurar saber se ainda, após tantos anos e acontecimentos inesperados, alguém da casa de Jonatas meu amigo, e se houver, usarei de beneficência com ele, até porque prometi a seu pai em tempos bons que juntos andávamos. E existia ainda alguém da descendência de Jonatas seu amigo do passado. Isto até hoje ainda acontece, em muitos momentos de nossa vida, em que ficamos ociosos, ficamos a pensar em coisas do passado, não foi diferente com o Rei Davi. Então, perguntou aos que lhe serviam se ainda existia alguém da casa de Jonatas para que ele usasse de beneficência para com ele, para que ele o rei Davi, usasse de bondade para com ele, trazendo-o a estar no reino gozando de benefícios que lhe fossem de direito hierárquico e de direito por juramento. Ninguém sabia de nada, pois muitos anos já tinham passado, a não ser, um serviçal que falou cautelosamente com medo de ofender ao rei:

Oh! Rei, viva a sua alma. 

Existi um homem, nos arrebaldes do reino, chamado Ziba, que conhece um rapaz que é descendente direto de Jonatas, (II Samuel 9:2). 

Esta afirmação desconcertou o rei visivelmente, para saber de tal pessoa, pois nunca teria ele o rei, deixado de cumprir as promessas feitas, e isto em hipótese alguma.

O rei Davi, não se desconsertou no sentido de estar com medo de perder o reino pára este descendente de Jonatas, real herdeiro do trono, porque sabia o rei que tinha sido colocado por DEUS naquele lugar para reinar para o povo de DEUS, mais pensou sim, em fazer para o verdadeiro herdeiro do trono, todas as beneficências possíveis, até porquê tinha no passado jurado a Jonatas que o que vencesse estaria com o que não venceu, gozando da vitória do vitorioso, e assim agiu o rei. Mandou chamar Ziba o homem que segundo o seu vassalo sabia quem era descendente de Jonatas, filho do maldoso rei Saul.

Lá veio Ziba. Ziba era dos tais que não possue escrúpulos, desde que seja para o seu bem estar e beneficio, fala qualquer coisa e de qualquer maneira, de qualquer pessoa, e o que for necessário para beneficiar-se, e de caso já premeditado, pensado, falou para o rei tudo quanto queria o rei saber, más falou a sua maneira, com a tonica das palavras já direcionada para os seus propósitos.

E perguntou-lhe, então o Rei:

Ziba, quem és tu?

Teu servo. Oh! Rei – {II Samuel 9:2}
Mentira de Ziba, ele apenas morava o reino de Davi, pois tinha sido na realidade, servo de Saul, um dos que sobraram do reino passado, e vivia Ziba, às escondidas no reino de Davi, e segundo a tradição daquela época, todos os que fossem do reino de reis que já tinham sido e não mais eram, tinham de morrer igualmente ao senhor a quem serviam, para que deles não existissem, nem restassem vestígio, e Ziba temendo por sua inútil vida mentia de imediato dizendo-se servo do rei Davi que ora reinava sob a égige do Senhor dos Exércitos.

Quantos não mentem hoje dizendo ser o que não são, apenas pensando em salvar a sua vida miserável, salvar o seu bem estar conseguido as custas do bem estar de outras pessoas, mesmo que isto, custe à derrota do que estiver ao seu lado, não importa, más fazem, porém, continuou Ziba, relatando ao rei. 

Ele chama Mefibosete, esta na casa de Maquir, que é filho de Amiel, más tenho de avisar algumas coisas a respeito de Mefibosete, meu rei!

Maquir é pobre miserável, mendigo, e Mefibosete mora de favor na casa do mendigo Maquir, é mendigo duas vezes, e é lá em lo-debar, lugar desgraçado e sequíssimo, mora, e ainda é ele aleijado dos dois pés, nem precisa o rei meu senhor se preocupar com ele, porque ele não oferece perigo algum ao meu senhor e nem ao seu reino.

Note, em tão poucas palavras, quantas maldades foram lançadas para a vida de Mefibosete em um só instante de conversa, observem:

1 - A casa que Mefibosete mora é de um mendigo (o seu senhorio não tem valor). 

2 - Ele mora de favor na casa de um mendigo. 

3 - É mendigo duas vezes. 

4 - Mora lá em lo-debar, que é uma terra sequíssima, terra miserável, terra desgraçada, terra que ninguém quer ir lá. 

5 - É aleijado, não poderá estar com o rei a mesa, porque não é permitido aos deficientes físicos (aleijados) estarem junto com os que não possuem deficiências físicas.

6 - É um cachorro morto rei, e cachorro morto não se chuta, pois não oferece perigo algum.

Pode até ser que você está em lo-debar neste momento, talvez more de favor na casa de alguém que não possua condições nem para si mesmo, ou ainda, esteja você com os pés quebrados no sentido figurado da palavra, talvez ainda, para muitos, você não ofereça perigo, porque a sua situação já te fragilizou de muitas maneiras, e até para você mesmo falta-lhe as forças para caminhar, você mesmo reconheça que está chegando o fim do túnel, porque em lo-debar da sua vida, tudo é miserável, sequíssimo, nada pode nascer para reanimar os seus dias, e vitalizar a sua vida, porém se tiver fé e vontade, você sai de Lo-Debar.

O rei Davi chamou os seus vassalos fiéis, homens de grande força e confiança e ordenou-lhes dizendo:

Ide a lo-debar, e lá arranquem, tomem a qualquer custo e preço o filho de meu mui fiel e amigo Jonatas, que em minha mocidade comigo viveu e comigo jurou fidelidade, vão a toda velocidade.

Não foi diferente com as nossas vidas, tínhamos os pés quebrados e morávamos em lo-debar, e Ziba {o inimigo de nossas almas}, não queria a qualquer custo que saíssemos de lo-debar para gozar uma vida abundante e vida de paz e próspera na presença do nosso Rei nosso DEUS, pai de nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO. E o que fez DEUS, chamou o seu filho, príncipe dos céus e disse: Vá depressa, tome, resgate por meio de sangue vertido no calvário no monte Caveira (gólgota) os meus filhos (benfeitorias de suas mãos) que estão em lo-debar, terra sequíssima.

E vindo o nosso Senhor JESUS CRISTO, fez-se homem, habitou entre nós {João 1:14}, cresceu entre nós, colocou-se a disposição do calvário por nós, pagou com sangue os nossos pecados no madeiro de horror, foi pregado, transpassado e morreu, más ao terceiro dia ressuscitou dos mortos, e ascendeu aos céus, e foi-nos preparar lugar nas mansões celestiais, para que onde Ele estiver, estejamos nós também. {João 14:3}.

A conclusão desta matéria ficará na responsabilidade daquele que a ler e aceitar a nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO, como o seu único e suficiente Salvador, verifique o que Davi rei em Israel fez para com Mefibosete e os seus, a mesma coisa dará e fará DEUS, pai de nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO para os que a Ele se entregarem e Nele, DEUS, confiarem.

{II Samuel 9: 9-13}

9 - Então, chamou Davi a Ziba, moço de Saul, e disse-lhe: Tudo o que pertencia a Saul e de toda a sua

casa tenho dado ao filho de teu senhor.

10 - Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu, e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que o

filho de teu senhor tenha pão que coma; e Mefibosete, filho de teu senhor, de contínuo comerá pão à

minha mesa. E tinha Ziba quinze filhos e vinte servos.

11 - E disse Ziba ao rei: Conforme tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim fará teu

servo; porém Mefibosete comerá à minha mesa como um dos filhos do rei.

12 - E tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica; e todos quantos moravam em casa de

Ziba eram servos de Mefibosete.

13 - Morava, pois, Mefibosete em Jerusalém, porquanto de contínuo comia à mesa do rei; e era coxo

de ambos os pés.
         



                                                  

E se João Batista fosse famoso?

http://img.comunidades.net/gid/gideaofreire10/Jesus_Joao_Batista_Batismo.jpg    24-05-2013  21:03:15

 

Luzes, câmeras, multidão. Esta é a marca do sucesso. Esta é a dica de que algo está funcionando. Pelo menos é isso que a gente vê hoje em dia. João Batista era um “produto exportação” do seu tempo. Tinha até estilo exclusivo (“usava uma roupa feita de pelos de camelo e um cinto de couro e comia gafanhotos e mel do mato”, v.6). Hoje em dia isso aumentaria o seu sucesso e alavancaria os multiprodutos com a sua marca: Grife JB, Snacks em forma de grilo com gostinho de mel, artigos de couro do João, além da família de bonecos. Pelo menos quatro linhas de produtos de sucesso, sem contar os milhões de acessos garantidos nos reprodutores de mídia online que lhe dariam bons retornos financeiros com os patrocínios no seu canal exclusivo.

Ele tinha uma mensagem forte, tinha uma imagem forte, tinha uma presença marcante; ele tinha um público fiel, tinha influência sobre as pessoas, era popular. Ele tinha tudo pra ser a estrela da sua geração. Ele tinha seus seguidores, seus discípulos. Ele até foi confundido com o Messias que haveria de libertar o povo. Talvez muitos a sua volta o serviam, davam presentes, ofereciam seus “préstimos”. Tudo estava dando certo. Tudo estava correndo bem. Dá até pra imaginar o “ar” de satisfação de seus “assessores e diretores de marketing”.

No “auge da sua carreira”, entretanto, João faz uma declaração que poderia deixar todos perplexos. Ele diz que havia alguém “mais importante do que ele”. Isso não é uma coisa que uma celebridade pode dizer a qualquer um e a qualquer momento. Ele vai além: “não mereço a honra de me abaixar e desamarrar…”. Como pode João falar isso?! Primeiro, abaixar-se para alguém é um sinal de submissão; segundo, desamarrar as correias de uma sandália era função de um escravo bem “rebinha”, talvez o de mais baixo valor da casa; terceiro, ele diz que isso seria uma honra; quarto, ele reconhece que não merece tal honra. Que que é isso, rapaz!

No auge do sucesso João se coloca na mais baixa condição. Mas ele não se importa, nem treme, nem sua a frio, nem titubeia. Declara de boca cheia e com imensa convicção. Este antimarketing poderia causar um grande prejuízo nos empreendimentos com a sua marca e sua imagem. Mas ele não se importava, porque sabia que maior que o seu discurso era aquele a quem ele estava preparando o caminho. João sabia que mais valiosa que a sua popularidade era a integridade da sua missão. Sabia que o melhor lugar era estar aos pés de Jesus, mas que isso não dependia dos seus méritos, e sim da graça divina.

Ao avaliar o decorrer da história, logo chego à conclusão de que mais alto que o topo do mundo é o lugar onde reconhecemos que desamarrar as sandálias do nosso Senhor é uma honra, e não a merecemos.

Popularidade hoje é fácil de conquistar. Integridade e fidelidade à missão é uma outra história. Façam as suas escolhas.

“Muitos moradores da região da Judeia e da cidade de Jerusalém iam ouvir João. Eles confessavam os seus pecados, e João os batizava no rio Jordão… Ele dizia ao povo: – Depois de mim vem alguém que é mais importante do que eu, e eu não mereço a honra de me abaixar e desamarrar as correias das sandálias dele”. (Marcos 1.5-7)